sábado, 3 de abril de 2010

ERASMO CARLOS CONVIDA ...



* Item de Colecionador *

Em 1980 Erasmo Carlos lançou seu primeiro LP pela gravadora Philips onde cada faixa tinha um convidado especial. Pela história de sua carreira, a frente ele repetiria algumas vezes esta formula, mas nenhuma foi tão boa e marcante quanto este primeiro trabalho que deixou marcas definitivas no universo da musica popular brasileira.

O leque de convidados era indiscutivelmente o que se tinha de melhor no cenário musical da época, a começar pelo ‘Rei’ Roberto Carlos que abre o LP dividindo com o parceiro e “irmão” a belíssima canção “Sentado a Beira do Caminho”, num raro momento de desprendimento dos arranjos que hoje soam tão datados de suas gravações pela antiga gravadora CBS ( hoje Sony Music).

Em seguida quem canta com Erasmo é a Primadona da MPB Gal Costa que imprimi a “Detalhes” um tom melancólico em duo com um de seus criadores. Ainda bem que tal momento foi registrado para um especial de TV que foi ao ar no lançamento do LP. Podemos observar um Tim Maia, amigo dos tempos da meninice de Erasmo e cantor de destaque no cenário musical com sua voz forte e sua presença sempre marcante e com um suingue que até hoje sentimos uma imensa falta neste cenário tão morno atualmente, e Tim faz chacoalhar a canção “Além do Horizonte”.

Temos ainda um Gilberto Gil alegre ao interpretar “Mané João” e uma Rita Lee que nos faz lembrar o melhor da época do disco “Refestança” em parceria com Gilberto Gil completamente solta e irreverente...

Como aprendemos a gostar de Rita nos anos anteriores, e o grupo “A Cor do Som” dá balanço bahiano a canção “Sou Uma Criança, não Entendo Nada” numa época pré axé. A Rainha “Maria Bethânia” acerta como sempre na escolha da canção e faz o mais belo dueto - a meu ver - do LP, a canção “Cavalgada” parece ter sido escrita para a força interpretativa de Bethânia que se encontrava no auge de sua derramada e densa dramaticidade.

A impressão que se tem ao ouvi-la é que estamos vendo-a no palco em um dos momentos mais marcantes de seus shows que já se tornaram eternos em nosso imaginário afetivo musical. Nossa, só comentei metade do LP / CD e olha que ainda falta falar de Caetano Veloso, Jorge Ben, Nara Leão, Wanderléa e as Frenéticas, mas isto e deixo para vocês... Que bom que 1980 não está tão longe assim ...

Paulo Gonçalo dos Santos
Historiador / Pesquisador de MPB
paulogoncalo@uol.com.br
Andre L. M. Menezes
Revisão Afetiva


video

Nenhum comentário: