domingo, 21 de março de 2010

SELMA REIS E A HOMENAGEM AO POETA PAULO CESAR PINHEIRO.



É difícil separar em nossa memória afetivo-musical as interpretações consagradas para canções do poeta Paulo Cesar Pinheiro, que vai de Clara Nunes, Simone a Elis Regina, mas este é um exercício necessário para que possamos saudar com todos os louvores que merece o CD “ A Minha Homenagem ao Poeta da Voz” lançado recentemente.

A homenagem prestada pela cantora Selma Reis é para lá de merecida. Paulo César Pinheiro é sem duvida um dos maiores poetas vivo de nossa literatura musical. Eu tenho sempre a impressão que após a partida repentina de sua maior interprete (e esposa) Clara Nunes ele foi deixado um pouco de lado.

Selma Reis, cantora surgida no cenário musical nos anos 80, é dona de uma voz poderosa e vem ao longo dos anos mostrando sua versatilidade quanto ao repertorio e se mostrando um atriz talentosa, vide seus trabalhos na TV e alguns de seus discos antológicos como o gravado em Cuba, que hoje tornou-se item de colecionador.

A cantora mostrou enorme coragem ao garimpar as composições de Paulo César e escolher justamente as de maior repercussão e absolutamente consagrada entre os devotos de nossa musica popular brasileira, e o fez de cabeça totalmente erguida.

Venho aprendendo com o passar dos anos que não existe interpretação definitiva para canções, toda e qualquer interpretação de uma obra musical esta situada num contexto e este contexto que pode ser sócio, econômico, cultural e até sexual é que dá o norte para que nossos ouvidos apaixonem-se ou não pela voz que está re-cantando o que o ouvido já habituou-se a gostar.

A voz deliciosamente colocada em cada canção do Poeta torna sua obra ainda mais importante, afinal qual compositor, fora Paulo César Pinheiro, tem o privilégio da criação de clássico nas vozes da maiores DIVAS de nossa MPB?

Ele entronizou definitivamente Clara Nunes no posto de maior cantora de sua época.

Estão presente no belo CD que é item obrigatório em todas as vidas que amam a música brasileira: “Banho de Manjericão’, “Força da Natureza”, “Cicatrizes”, “Passatempo”, “Bolero de Satã”, “Cordilheiras,’ “To Voltando”, “Viagem”, “Velho Arvoredo” e as belas participações de Diogo Nogueira e Beth Carvalho.

Salve o Poeta e a Voz do Poeta neste século XXI.

Paulo Gonçalo dos Santos
Historiador / Pesquisador de MPB
paulogoncalo@uol.com.br

Andre L. M. Menezes
Revisão Afetiva


video

Nenhum comentário: